Como achar um captador de recursos

Um grande captador de recursos é o sonho dourado da maior parte das organizações sociais do Brasil.

Uma pessoa que venha para resolver! Que aumente o montante captado e dê um fim definitivo ao problema de dinheiro na ONG.

É o seu caso?

Entretanto, infelizmente, preciso te contar uma coisa: essa pessoa pronta para resolver seus problemas provavelmente não existe.

Mas não se desespere! Vamos falar sobre algumas alternativas para a sua dor da falta de recursos financeiros.

planilha planejamento recursos

Para começar: o que é um captador de recursos?

Vou fazer uma confissão: eu não gosto muito do termo “captador de recursos”. Uso ele e seguirei usando neste texto poque é uma forma mais fácil de expor ideias. Mas confesso que não me agrada muito.

Sabe porque? Porque esta expressão dá a entender que a atividade deste profissional é ir ao mundo e trazer a maior quantidade possível de recursos. Captar dá essa ideia: trazer para si, apanhar, recolher.

O que é “captar” na minha concepção

Eu acredito que a atividade de captar vai muito além deste “trazer para si”.

Os grandes captadores e captadoras que conheço são pessoas com a habilidade de criar relacionamentos baseados na confiança e a partir disso gerar valor para toda rede.

São bons articuladores que usam seus talentos para multiplicar para toda sociedade, não apenas para uma organização.

Pessoas com capacidade de construir relações e de gerar valor para toda rede. 

Como consequência desta atividade, conseguem trazer também recursos financeiros para as suas ONGs e causas.

Talvez as frases acima pareçam um pouco filosóficas ou até utópicas! Mas te convido a refletir se o profissional que você deseja para sua organização é um hábil construtor de relações bilaterais ou apenas alguém que consiga buscar o máximo possível de dinheiro com empresas e pessoas físicas a qualquer custo.

Posso te garantir que o segundo exemplo terá certa dificuldade de ter sucesso no longo prazo.

O que fazer para ter um grande captador de recursos na sua ONG?

Agora vamos para uma parte mais prática: se você quer ter um captador de recursos na sua organização, sugiro que siga por um dos três caminhos:

1 – Promova alguém da sua ONG

O primeiro – e mais simples – caminho é empoderar alguém que já está na sua organização.

Esta é, sem dúvida, a solução mais barata e mais rápida. Além disso, o risco é baixíssimo. Você já conhece a pessoa e se está dando a ela esta responsabilidade é porque imagina que ela tenha condições de entregar resultados.

2 – Contrate alguém em início de carreira

Outra solução muito comum é trazer um profissional em começo de carreira e formá-lo em captação de recursos na própria organização.

Neste caso, o importante é que seja alguém que tenha interesse em fazer carreira nesta área. No início a pessoa provavelmente ganhará pouco e enfrentará as desilusões inerentes a todo ciclo de captação de recursos. 

Se a pessoa visualizar nesse ciclo uma oportunidade de crescimento futuro, certamente estará mais propensa a enfrentar isso e persistir.

3 – Contrate alguém fazendo transição

Se você não tem ninguém dentro da própria organização que considere apto a se especializar na captação de recursos nem quer contratar um profissional em início de carreira, sugiro trazer alguém em processo de transição.

Muitas pessoas, depois de certo tempo trabalhando em mercados “tradicionais”, têm a vontade de migrar para o terceiro setor.

São pessoas com mais idade e certa trajetória, que buscam novos significados.

A vantagem desta solução é que você contratará um profissional já experiente, com uma percepção mais aguçada dos seus pontos fortes e fracos.

ferramentas gratuitas para organizações sociais

Atraia as pessoas certas

Como você deve ter notado, temos duas possibilidades: ou você vai contratar alguém para captar recursos ou esta responsabilidade será abraçada por alguém da própria organização.

Em qualquer um dos cenários é FUNDAMENTAL que a pessoa que vai liderar esta frente tenha o perfil certo.

Captação de recursos é uma atividade de longo prazo que requer persistência e foco. Por isso, se a pessoa não tiver o perfil adequado, logo poderá se desestimular e desistir – ou, pior, ficar na função sem apresentar resultados.

Mas qual seria este perfil?

O “perfil certo” depende das estratégias que você vai usar. Mas vamos dizer que há dois perfis principais:

Uma pessoa que goste de relacionamentos

A maioria das estratégias que você irá utilizar demandarão uma pessoa com perfil articulador, que goste de criar e manter relacionamentos em longo prazo.

Este perfil será muito favorável para, por exemplo, pedir dinheiro para empresas ou indivíduos.

Esta pessoa deve ter um perfil mais ou menos assim:

  • Comunicativa
  • Gostar de fazer reuniões e participar de eventos
  • Ter facilidade em criar uma extensa rede de relacionamentos de longo prazo
  • Não se importar em pedir

Uma pessoa técnica/analítica

Mas será que a captação de recursos é uma área restrita para articuladores? Com certeza não!

Um outro perfil muito interessante é a pessoa analítica.

Em algumas estratégias como, por exemplo, editais, esta pessoa será muito útil para fazer inscrições detalhadas e precisas.

Um perfil mais ou menos assim:

  • Prefere produzir sozinha
  • Boa escrita e leitura
  • Gosta de analisar detalhes
  • Perfeccionista, tem prazer em entregar algo sem erros

Gaste o tempo que for necessário para encontrar as pessoas certas. Esta é a etapa mais importante.

Pessoas certas com uma estratégia equivocada conseguem corrigir rumos e ajustar resultados. Por outro lado, pessoas sem o perfil necessário não funcionarão nem com o melhor planejamento do mundo.

banner consultoria

O que NÃO fazer para ter um grande captador de recursos na sua ONG?

Agora, vou te contar o que NÃO fazer para resolver seu problema de captação de recursos:

Terceirizar a solução 

Agências de captação ou captadores externos dificilmente trarão resultados consistentes em longo prazo. Podem até complementar sua estratégia, numa função operacional. Mas é isso aí. Não conte com isso para resolver seu problema.

Centralizar a solução nos voluntários 

Salvo raríssimas exceções, captação voluntária não dá resultados consistentes em longo prazo. Captação é uma atividade que demora para dar resultados, monótona. O mais normal é uma empolgação inicial ser sucedida por desistência. Conte com isso apenas como um apoio.

Contratar alguém remunerado apenas pelo sucesso da captação (“Não temos dinheiro para pagar, mas pode ficar com um percentual arrecadado”) 

Isso provavelmente não vai dar certo, por duas razões principais. Em primeiro lugar, esta pessoa precisará ter tempo e condições para captar recursos de forma consistente. Ela não vai ter nem um nem outro se precisar dar resultados amanhã para sobreviver.

Em segundo lugar, oferecendo este tipo de remuneração você dificilmente atrairá alguém realmente capacitado e com perfil certo. Os melhores candidatos virão por um salário fixo – que pode, claro, ser COMPLEMENTADO por comissões

Próximos passos: como agir a partir das informações acima?

Hora de partir para ação! Se você leu as linhas anteriores, já deve ter entendido que a solução precisa partir de dentro para fora da organização. 

Vamos então destrinchar os próximos passos em quatro:

1 – Escolha se quer contratar ou promover alguém da organização

Inicialmente, defina se você quer trazer alguém de fora ou promover alguém da própria organização.

Minha dica é: se tiver recursos financeiros disponíveis e achar que ninguém da sua ONG pode cumprir esse papel, contrate. Se não tiver recursos disponíveis ou se julgar que sua ONG já tem alguém com perfil, promova uma pessoa da própria organização.

2 – Se for contratar, defina perfil e remuneração

Se sua opção é por contratar um novo profissional, antes de partir para a ação defina o perfil e a remuneração.

Na parte do perfil, conclua se prefere um profissional com mais tempo de mercado, que está fazendo a transição de carreira, ou um jovem começando no terceiro setor.

Lembre-se que trazer alguém que já tenha experiência na captação de recursos e resultados comprovados é raro e caro.

Também alinhe qual será a remuneração do futuro profissional.

Neste item, esqueça a opção de remunerar apenas por um percentual do captado. Neste modelo de trabalho, é muito possível que o profissional se frustre com a falta de resultados e passe a buscar alternativas.

3 – Depois de contratar/promover, invista em formação

Depois de contratar ou promover alguém, precisará investir na formação do captador de recursos.

Há várias alternativas:

Portais de conteúdo, como a Norte ou o Portal do Impacto

Espaços de curso, como a Escola Aberta do Terceiro Setor

Acelerações gratuitas, como aquelas oferecidas anualmente por institutos e fundações.

Palestras e webinários gratuitos, como as que a Norte promove.

4 – Nada substitui a prática

Por fim, gostaria de deixar uma mensagem: nada substitui a prática na captação de recursos.

Eu aprendi assim. Milhares de captadores no Brasil, também.

Fazer reuniões ruins. Levar muitos “não”. Se inscrever em editais e não ter respostas.

Tudo isso faz parte da formação de um grande captador.

A teoria das acelerações é muito importante, bem como um planejamento bem feito. Mas não pare por aí. Vá para ação e aprenda na prática.

Espero ter ajudado! Precisa de mais alguma ajuda? Conte com a gente! 

6 respostas
    • Marcos Pinheiro
      Marcos Pinheiro says:

      Dijair, a melhor forma de conseguir recursos para sua organização é montando e executando um planejamento de captação de recursos. Falamos disso de forma bem completa neste link.

      Também temos uma comunidade onde conseguimos atender melhor as organizações por meio de fórum, formações e ferramentas. Se quiser fazer parte, pode entrar clicando aqui!

      Espero ter ajudado! Abs

      Responder
    • Marcos Pinheiro
      Marcos Pinheiro says:

      Dijair, recursos governamentais não são muito simples de se obter. Se quiser estudar melhor este tema, temos um post só sobre isso que você pode ler clicando aqui

      Lembrando que tratamos deste tema na nossa comunidade, onde conseguimos atender melhor as organizações por meio de fórum, formações e ferramentas. Se quiser fazer parte, pode entrar clicando aqui!

      Responder

Deixe uma resposta

Quer se juntar a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.