Posts

A agenda ESG tem ganhado espaço no mundo corporativo

Um dos marcos desse impulso foi a carta de Larry Flink, CEO da BlackRock, em janeiro de 2020. Nela, o executivo posicionava sustentabilidade como norte das ações da gestora de fundos de investimentos, que naquele ano tinha US $6,5 trilhões de ativos sob gestão. É bem verdade que em 2024 a empresa deu um leve recuo em reação a pressões nos EUA. Mas seguiu tendo ESG como elemento central – dessa vez a partir da mudança climática.

Esta crescente relevância da agenda ESG pode ser notada, por exemplo, pelo aumento no fluxo de recursos investidos a partir de estratégias de investimentos ESG, o surgimento de novas iniciativas chave em investimentos ESG ou pela proliferação de regulações e resoluções ligadas à sustentabilidade no mundo – incluindo a CVM 59 no Brasil.

Um aspecto com o qual executivos têm se deparado quando lidam com a agenda ESG é a sua amplitude

Ao considerar pilar ambiental, pilar social e pilar de governança, a agenda ESG trata de assuntos tão diferentes quanto relações com investidores, resíduos sólidos e diversidade da força de trabalho.

Por isso, meu objetivo aqui neste texto é te dar uma noção mais clara sobre O QUE É esta tal agenda ESG, apontando os temas ligados a ela.

Complementarmente, também quero te dar uma noção do que fazer com ela, ou seja, como implementá-la na sua empresa.

O que é agenda ESG?

Antes de partir para os temas da agenda, acho que vale definir exatamente o que seria o termo “agenda ESG”.

“Agenda”, no sentido figurado, como você deve saber, é uma lista de assuntos ou um conjunto de compromissos a serem tratados.

Já ESG é a junção das letras iniciais das palavras environmental, social and governance (do inglês, ambiental, social e governança). Em resumo, ESG é um frame para avaliar a sustentabilidade de empresas a partir de um olhar para seus aspectos ambientais, sociais e de governança.

Agenda ESG, portanto, é o conjunto de assuntos ou compromissos que devem ser tratados por uma empresa nos pilares ambiental, social e de governança para que ela seja sustentável.

Se você tiver interesse em se aprofundar na definição de ESG, temos posts maiores e mais completos nos quais eu falo sobre O que é ESG e porque é importante para sua empresa, Empresas ESG: por onde começar?, Investimentos ESG, como aprovar um orçamento para ESG na minha empresa e também especificamente sobre o pilar ambiental, o pilar social e o pilar de governança.

Agenda ESG: o que é

Quais são os temas da agenda ESG?

A agenda ESG, por definição, considera 3 grandes grupos de temas: sociais, ambientais e de governança.

Mas quais seriam os temas dentro de cada pilar?

Um primeiro ponto importante para responder a essa pergunta é que esta agenda não tem uma definição única. Ou seja, dependendo da fonte, há variações sobre quais são os temas de cada um dos pilares.

A norma ABNT PR 2030

A mais qualificada fonte do Brasil para determinar temas ESG é a norma ABNT PR 2030

Lançada no final de 2022, a norma é o primeiro material orientativo sobre o tema ESG no país. Uma recomendação de bases técnicas para regulamentações futuras.

A norma ABNT PR 2030 segmenta os temas materiais da seguinte forma: 

Eixo: nível mais abrangente composto pelos eixos Ambiental (E), Social (S) e Governança (G)

Tema: subdivisão temática de cada eixo, permitindo o agrupamento de critérios em temas ou famílias com aspectos afins

Critério: subdivisão dos temas em aspectos específicos para abordagem na organização

Antes de te mostrar cada um dos eixos, vale ressaltar que temos um conteúdo específico sobre O que é a norma ABNT PR 2030 e como ela vai influenciar o cenário ESG no Brasil. Se quiser dar uma lida, clica no link!

Dito isso, vamos para os eixos!

Eixo Ambiental

Todas as organizações afetam e são afetadas pelo meio ambiente. No eixo ambiental temos 5 temas com 14 critérios:

Mudanças climáticas

  • Mitigação de emissões de gases de efeito estufa (GEE)
  • Adaptação às mudanças climáticas
  • Eficiência energética

Recursos hídricos 

  • Uso da água
  • Gestão de efluentes

Biodiversidade e serviços ecossistêmicos

  • Conservação e uso sustentável da biodiversidade
  • Uso sustentável do solo

Economia circular e gestão de resíduos

  • Economia circular
  • Gestão de resíduos

Gestão ambiental e prevenção da poluição

  • Gestão ambiental
  • Prevenção da poluição sonora (ruídos e vibrações)
  • Qualidade do ar (emissão de poluentes)
  • Gerenciamento de áreas contaminadas
  • Produtos perigosos

Eixo Social

Toda organização opera dentro de uma sociedade mais ampla e diversificada. No eixo social temos 5 temas com 15 critérios:

Diálogo social e desenvolvimento territorial

  • Investimento social privado
  • Diálogo e engajamento das partes interessadas
  • Impacto social

Direitos humanos

  • Respeito aos direitos humanos
  • Combate ao trabalho forçado ou compulsório
  • Combate ao trabalho infantil

Diversidade, equidade e inclusão

  • Políticas e práticas de diversidade e equidade
  • Cultura e promoção de inclusão

Relações e práticas de trabalho

  • Desenvolvimento profissional
  • Saúde e segurança ocupacional
  • Qualidade de vida
  • Liberdade de associação
  • Política de remuneração e benefícios

Promoção de responsabilidade social na cadeia de valor

  • Relacionamento com consumidores e clientes
  • Relacionamento com os fornecedores

Eixo Governança

Todas as organizações, considerando a sua própria constituição legal, exigem governança. No eixo governança temos 4 temas com 13 critérios:

Governança corporativa 

  • Estrutura e composição da governança corporativa
  • Propósito e estratégia em relação à sustentabilidade

Conduta empresarial

  • Compliance, programa de integridade e práticas anticorrupção
  • Práticas de combate à concorrência desleal (antitruste)
  • Engajamento das partes interessadas

Práticas de controle e gestão

  • Gestão de riscos do negócio
  • Controles internos
  • Auditorias interna e externa
  • Ambiente legal e regulatório
  • Gestão da segurança da informação
  • Privacidade de dados pessoais

Transparência na gestão 

  • Responsabilização (prestação de contas)
  • Relatórios ESG, de sustentabilidade e/ou relato integrado

Como implementar a agenda ESG?

Espero que no tópico anterior tenha ficado claro para você quais são os eixos, temas e critérios da agenda ESG.

A sistematização deles no Brasil, embora certamente ainda vá sofrer alterações, foi uma grande conquista da agenda ESG em 2022. Até então, não havia a orientação definidora trazida pela norma ABNT PR 2030.

Esta definição facilita muito a implementação da agenda ESG nas empresas, pois aponta um caminho padronizado.

Vamos, então, falar deste caminho. Em outras palavras, vou detalhar abaixo os passos para implementação da agenda ESG na sua empresa.

Se você quiser ler sobre este processo de implementação com mais profundidade, temos um post específico sobre isso: Empresas ESG: por onde começar?.

Passo 1: identifique questões materiais

Neste passo, a priorização é fundamental. Você deve entender quais temas da ampla agenda são relevantes para sua empresa – os chamados “temas materiais”.

Para isso, uma longa lista de variados stakeholders deve ser ouvida a partir de um questionário padronizado. 

Este questionário deve conter perguntas, com respostas simples, sobre questões ambientais, sociais e de governança. 

As respostas devem ser colocadas em uma matriz que apontará quais são os temas mais relevantes para a empresa. Veja abaixo o exemplo da matriz de materialidade da Nestlé:

ESG: Matriz de Materialidade da Nestlé

Passo 2: Estabeleça metas concretas

Selecione entre 3 e 5 temas materiais e defina metas concretas para cada um. Para ajudar neste ponto, alguns exemplos:

Environmental (ambiental)

  • Diminuir em 30% a emissão de carbono até 2030
  • Diminuir em 40% a geração de resíduos sólidos até 2030
  • Utilizar apenas embalagens retornáveis ou recicláveis até 2025

Social

  • Ter 50% dos postos de liderança ocupados por mulheres e por pessoas negras até 2025
  • Zerar a ocorrência de acidentes de trabalho até 2025
  • Tirar 200 mil pessoas da linha da pobreza nas zonas de influência da empresa até 2025

Governança

  • Ter 100% das pessoas em cargos de liderança treinados em temáticas anticorrupção até o fim do ano
  • Definir o procedimento a ser adotado em casos de conflito de interesse até o fim do ano
  • Estabelecer a política antitruste da companhia até o fim do ano

Passo 3: Envolva todos os departamentos da companhia, incluindo a alta hierarquia

Uma vez que a materialidade esteja resolvida, chegamos no passo em que muitas estratégias de ESG naufragam: a implementação.

Para não naufragar na implementação, te recomendo dois cuidados importantes

Defina quem será responsável pela implementação da estratégia de ESG na empresa – prioritariamente um comitê 

Crie metas para todas as áreas, sendo estas metas relacionadas com a estratégia central da empresa. Se estas metas puderem afetar os bônus dos executivos, melhor ainda.

Passo 4: Utilize métricas para a avaliação do resultado obtido e elabore relatórios de sustentabilidade

O desenvolvimento de métricas de acompanhamento de resultados é fundamental para que as políticas de ESG deixem de ser apenas boas ideias no papel e ganhem corpo, combatendo práticas como o greenwashing e o socialwashing

As métricas devem ser definidas junto com as estratégias e devem servir de base para o acompanhamento das ações.

Estas métricas te permitirão saber, objetivamente, se a implementação está funcionando bem.

Produção de relatórios

Por fim, é FUNDAMENTAL produzir relatórios de qualidade e padronizados com o resumo do desenvolvimento da estratégia.

Estes relatórios servirão de base para que futuros investidores e outros stakeholders acompanhem de forma transparente o desenvolvimento da sua estratégia de sustentabilidade.

É importante que seu relatório de sustentabilidade seja curto, apresente apenas o necessário e, principalmente, siga padrões internacionais.

Um dos padrões mais seguidos e aceitos internacionalmente para este tipo de relatório é o da Global Reporting Initiative. Também conhecido como “Relatório GRI”, ele comunica de forma simplificada como está sendo desenvolvida a agenda ESG na empresa, baseando-se nos princípios de relato das normas GRI padronizados.

Falamos melhor neste post sobre Relatório GRI: o que é, como funciona e como usar na prática.

Uma palavra final

A agenda ESG é ampla e ainda está em formação no mundo todo.

Porém, é inegável que se trata de um tema em alta, que experimentará vertiginoso crescimento nos próximos anos.

O aumento de recursos destinados a empresas ESG e das regulações

sobre sustentabilidade no mundo todo vêm mostrando isso.


Espero que este texto tenha dado a você uma noção mais clara sobre o que é esta agenda e como você pode, de forma bem prática, implementá-la na sua empresa.


Adoraríamos assessorar você neste processo. A Norte tem experiência em consultorias e na agenda ESG e podemos te orientar a implementá-la na sua empresa, seja para adequá-la a aspectos regulatórios, ampliar o acesso a recursos financeiros ou mesmo por uma escolha estratégica.

Se quiser contar conosco, fique à vontade para nos pedir um orçamento. E, claro, se curtiu o texto deixe seu comentário abaixo.