Posts

Apesar de populares, os termos Organização Não-Governamental (ONG) e instituto não existem legalmente. São nomes genéricos para se referir a fundações e associações, as duas entidades privadas sem fins lucrativos do Código Civil brasileiro.

Como os termos inexistem na legislação, não há diferença legal entre eles. A diferença se dá no uso popular.

“ONG” costuma ser usado para se referir, de forma geral, às entidades sem fins lucrativos. Já “instituto” é um nome fantasia adotado por algumas ONGs por livre escolha, sem gerar direitos ou deveres.

Assim, o Instituto Phi, por exemplo, é uma conhecida ONG que opta por ter “instituto” como nome fantasia. Poderia mudar seu nome, sem nenhum prejuízo nem mudança fundamental, para “Associação Phi” ou simplesmente “Phi”.

ferramentas gratuitas para organizações sociais

A origem do termo “Instituto”

Instituto é uma palavra bem antiga. Vem do latim “Statuere”, que significa “colocar em pé” ou “estabelecer”.

Com o tempo, seu sentido foi sendo mudado para “organização que promove uma causa ou persegue uma meta”.

No Brasil, este termo é tradicionalmente usado por organizações de ensino e pesquisa e/ou sem fins lucrativos.

“Instituto” é muito adotado, por exemplo, por ONGs ligadas a empresas ou grandes famílias, embora não haja nenhuma obrigação nesse sentido.

A origem do termo

O termo “Organização Não Governamental (ONG)” foi utilizado pela primeira vez em 1950, numa publicação da Organização das Nações Unidas (ONU).

Esta denominação se difundiu bastante em todo mundo e chegou ao Brasil no final do século XX. Atualmente, no país, 95% das entidades chamadas popularmente de ONGs são Associações, enquanto 5% são fundações.

Diferença instituto e ONG - chart

As Associações

Associações têm como ponto central uma causa, em torno da qual pessoas se unem. Exemplo: eu e meu vizinho queremos preservar um rio do nosso bairro. Nos mobilizamos e criamos a associação “Bairro feliz”, para lutar pela nossa causa. O processo é simples e barato.

Estes são os requisitos para abrir uma associação:

  • Constituição feita a partir de pessoas
  • Patrimônio inicial não obrigatório
  • Finalidade (causa) da associação é livre
  • Os fundadores decidem
  • As regras de funcionamento são livremente definidas pelos membros
  • A Assembleia Geral é o órgão soberano

As Fundações

Fundações têm como ponto central o patrimônio. Uma pessoa física ou jurídica faz uma doação financeira para um propósito específico. Um exemplo é a Fundação Roberto Marinho, formada a partir da doação de parte do patrimônio do bilionário brasileiro. Este processo é bem mais complexo, incluindo fiscalização do Ministério Público.

Estes são os requisitos para abrir uma fundação:

  • Constituição a partir de patrimônio aprovado pelo Ministério Público
  • Finalidade (causa) da fundação deve ser: assistência social; cultura; defesa e conservação do patrimônio histórico e artístico; educação; saúde; segurança alimentar e nutricional; defesa, preservação e conservação do meio ambiente e promoção do desenvolvimento sustentável; pesquisa científica, desenvolvimento de tecnologias alternativas, modernização de sistemas de gestão, produção e divulgação de informações e conhecimentos técnicos e científicos; promoção da ética, cidadania, democracia e dos direitos humanos; atividades religiosas
  • As regras de funcionamento são fiscalizadas pelo Ministério Público
  • Criada por escritura pública ou testamento
  • Todos os atos devem ser aprovados pelo Ministério Público

Organização da Sociedade Civil (OSC): a nova denominação

A Lei 13.019/2014, o Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC), estabeleceu uma nova nomenclatura para se referir genericamente às associações e fundações: Organização da Sociedade Civil (OSC).

Um dos objetivos deste novo termo é dar ênfase à importância da sociedade civil nas associações e fundações. Considerou-se importante, portanto, que isso estivesse expresso no termo que faz referência a elas.

Embora “OSC” seja um nome ainda pouco difundido, ele vem gradativamente substituindo o uso de “ONG”. O termo já tem sido usado, por exemplo, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) no Mapa das OSCs e no estudo Impacto da Covid-19 nas OSCs brasileiras, da consultoria Mobiliza.

Em um futuro próximo pode ser que OSC seja o nome popular que faça referência genérica a Associações e Fundações, e “ONG” caia em desuso.

ferramentas gratuitas para organizações sociais